Logotipo Engenharia Compartilhada
Home Notícias Concreto de alta resistência sem cimento Portland tem duplo ganho ambiental
Inovação

Concreto de alta resistência sem cimento Portland tem duplo ganho ambiental

Inovação Tecnológica - 23 de julho de 2021 682 Visualizações
Concreto de alta resistência sem cimento Portland tem duplo ganho ambiental

Tem havido um interesse crescente também na reciclagem do concreto, reconduzindo os materiais ao uso na construção.
[Imagem:Li Liang/Yuya Sakai]

Concreto sem cimento

Engenheiros da Universidade Federal de Pernambuco desenvolveram uma técnica de dosagem que permite obter concretos de alta resistência (>75 Mpa) sem a utilização do tradicional cimento Portland.

Além disso, o professor Nilvan Araújo Júnior e seus alunos desenvolveram a técnica usando um resíduo do processo de produção de ferro gusa nas siderúrgicas, a escória de alto-forno, em combinação com um ativador alcalino.

Assim, além de produzir um cimento de baixo impacto ambiental - a produção de cimento Portland é responsável por cerca de 7% do CO2 emitido no mundo - o processo permite dar uma destinação a um rejeito da siderurgia, obtendo um benefício duplo.

E não é só o ambiente que ganha, uma vez que o concreto sem cimento apresenta características superiores ao concreto comum.

"Quanto ao desempenho, esse novo produto apresenta um endurecimento mais rápido e maior ganho de resistência quando comparado ao cimento tradicional, sendo apropriado para produção de peças pré-moldadas em fábricas," garante a equipe.

Comparações

Para comparar o concreto tradicional (concreto de alta resistência com cimento Portland e sílica ativa) com o concreto alternativo, a equipe realizou ensaios de resistência à compressão e módulo de elasticidade dinâmico com 1, 3, 7 e 28 dias. Aos 28 dias também foram feitos ensaios de módulo de elasticidade estático e resistência à tração por compressão diametral.

Os resultados mostraram que, tanto o concreto de alta resistência, como o concreto de escória álcali-ativada, desenvolveram altas resistências iniciais (>40 MPa com 1 dia) e finais (>86 MPa aos 28 dias).