Logotipo Engenharia Compartilhada
Home Notícias Brasil precisaria investir R$ 200 bi a mais por ano em infraestrutura, diz estudo
OPINIÃO

Brasil precisaria investir R$ 200 bi a mais por ano em infraestrutura, diz estudo

Assessoria de imprensa - 23 de fevereiro de 2024 516 Visualizações
Brasil precisaria investir R$ 200 bi a mais por ano em infraestrutura, diz estudo

De acordo com um estudo da consultoria financeira InterB, publicado no final de janeiro, o investimento em infraestrutura no Brasil representou 1,79% do PIB em 2023, um montante de R$ 200 bilhões. Para este ano, esse percentual deve chegar a 1,87%. O levantamento aponta que para a infraestrutura brasileira se modernizar, seriam necessários aportes anuais na casa dos R$ 400 bilhões, aproximadamente 4% do PIB.

Para Fernanda Braga, gerente administrativa da APAT - Associação de Profissionais de Agrimensura e Topografia, é importante que esses investimentos aumentem continuamente para promover desenvolvimento ao país. Segundo ela, “entre 2023 e este ano, já é possível se observar uma elevação, especialmente por conta do lançamento do novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), entretanto, ainda é necessário que o poder público e a iniciativa privada façam aportes mais significativos para solucionar gargalos de infraestrutura no país”.

Fernanda diz ainda que além dos investimentos em obras estruturais, mobilidade urbana e outros projetos, é preciso ter um olhar direcionado à implementação de novas tecnologias e à formação e capacitação de engenheiros, topógrafos e outras categorias de trabalhadores que atuam no mercado de geotecnologia, fundamental para a execução de grandes projetos. “Nós somos um país com um relevo bastante acidentado e que necessita de equipamentos cada vez mais modernos para tornar o trabalho mais ágil e preciso, por isso é essencial que programas como o PAC contemplem os recursos necessários para a atuação desses profissionais”, comenta.

APAT investe em serviços para profissionais de topografia e agrimensura
Atenta ao mercado, a APAT oferece aos seus associados serviços de proteção de equipamentos. De acordo com levantamento da entidade, os estados em que houve mais contratações desses benefícios em 2023 foram Minas Gerais (253), São Paulo (203) e Bahia (139). Já nas últimas colocações aparecem Amapá (4), Piauí (3) e Acre (2). A região que mais se destaca é a Sudeste, que concentra 46,6% das tecnologias protegidas. Já a região Norte é a última no ranking, com 4,8%.

Para Fernanda, “os números que levantamos nas nossas operações demonstram que há, de fato, maior demanda nas regiões em que há mais investimentos em obras e grandes projetos de engenharia, o que reforça a necessidade de se fazer aportes nessas tecnologias para apoiar o trabalho dos profissionais do ramo”. Atualmente, a Associação, que encerrou 2023 com quase 500 novos membros, 59% a mais que em 2022, conta com serviços de proteção para 1.240 equipamentos.

Sobre a APAT
A APAT (Associação de Profissionais de Agrimensura e Topografia) é a maior entidade brasileira de representação dos engenheiros agrimensores e topógrafos. Criada em 2020, a APAT atua também como um clube de vantagens para esses profissionais. A entidade surgiu a partir da necessidade de um grupo de trabalhadores que possuíam equipamentos topográficos e não encontravam soluções necessárias no mercado, como suporte, treinamentos e cursos promovidos por parceiros especializados, assistência técnica, equipamentos reserva, descontos e proteção, processos menos burocráticos, preços especiais, descontos e agilidade no atendimento. Atualmente, a entidade está presente em todos os estados do Brasil. Para saber mais, entre no link.