Logotipo Engenharia Compartilhada
Home Notícias Soluções de climatização para a descarbonização de data centers
TECNOLOGIA

Soluções de climatização para a descarbonização de data centers

ASSESSORIA DE IMPRENSA - 27 de março de 2024 304 Visualizações
Soluções de climatização para a descarbonização de data centers

[Foto: Retirada no site da empresa]


São Paulo, 27 de março de 2024 – A descarbonização está cada vez mais presente no dia a dia das empresas, principalmente, no setor de climatização de ambientes. Com o crescimento dos data centers, o desenvolvimento de tecnologias para torná-los mais sustentáveis é um imperativo para as companhias do setor, como a Trane Brasil, líder no setor de soluções de climatização e controle de temperatura.

Além da inovação tecnológica, os caminhos para um data center net zero, em carbono e energia, o uso de chillers condensados por ar ou água no Brasil e o design de data centers para uma infraestrutura mais eficiente foram os temas abordados pela companhia durante sua participação no 5º Data Center Day São Paulo, realizado em 22 de março pelo Capítulo Brasil da ASHRAE (American Society of Heating, Refrigerating and Air-Conditioning Engineers, na sigla em inglês).

“De acordo com a Agência Internacional de Energia (AIE), prédios, galpões e outras edificações são responsáveis por 26% das emissões globais de gases de efeito estufa (GEE). Esse cálculo inclui a energia consumida para o aquecimento, resfriamento e iluminação, assim como outros equipamentos neles instalados. Por isso, torna-se cada vez mais necessário desenvolver soluções de climatização e controle de temperatura que contribuam com a descarbonização das instalações de nossos clientes”, destaca Giancarlo Delatore, executivo de Vendas sênior da Trane Brasil.

Delatore diz que uma tendência do setor é a padronização. De acordo com ele, diversos fornecedores de data centers buscam criar um padrão que possam replicar em diversas localidades, reduzindo custos de projetos. “Outra tendência que observamos é a adoção de sistemas de resfriamento por imersão para atender sistemas de alta densidade”, diz.

O executivo ressalta ainda que as tecnologias existentes podem proporcionar reduções significativas de energia e custos, melhorando a eficiência energética e, consequentemente, a pegada de carbono dos data centers. Isso, sem comprometer o conforto térmico interno. “Com uma gestão responsável e opções por alternativas sustentáveis é possível fazer com que as instalações cumpram a meta de atingir emissões líquidas zero”, complementa.