Logotipo Engenharia Compartilhada
Home Notícias 10 aspectos da construção sustentável envolvidas na menor emissão de CO2
SUSTENTABILIDADE

10 aspectos da construção sustentável envolvidas na menor emissão de CO2

Assessoria de Imprensa - 06 de junho de 2024 141 Visualizações
10 aspectos da construção sustentável envolvidas na menor emissão de CO2

[Crédito: Divulgação]


São Paulo, maio de 2024 — As construções sustentáveis visam ser um pilar importante para a redução das emissões de CO2, contribuindo assim para a preservação do meio ambiente. A Semana do Meio Ambiente, comemorada na primeira semana de junho, coincidindo com o Dia Mundial do Meio Ambiente (5 de junho), pode ser um momento oportuno para refletir sobre as práticas que o setor vem adotando para afirmar seu compromisso com o planeta.

“Ao integrar diferentes elementos, a construção civil pode liderar o caminho para um futuro mais sustentável, garantindo que as estruturas que erguemos hoje não prejudiquem as gerações futuras”, afirma o Engenheiro e Gestor Ambiental Flávio Vieira, do Grupo Isofort.

Entre os aspectos da construção sustentável que, entre outros aspectos, ajudam a minimizar a pegada de carbono, ela elenca os dez, a seguir:

Uso de materiais sustentáveis: A escolha consciente de materiais é o primeiro passo para uma construção com menor impacto ambiental. Materiais 100% recicláveis, como EPS (poliestireno expandido), oferecem uma alternativa ecológica aos tijolos convencionais queimados, reduzindo entulho e resíduos nas obras. Já o uso de concreto com aditivos reciclados e aço reciclado pode reduzir significativamente as emissões de CO2 associadas à produção de materiais de construção.

Eficiência energética: A eficiência energética vai além do isolamento e das janelas. A orientação do edifício em relação ao sol, por exemplo, pode maximizar a luz natural e minimizar a necessidade de iluminação artificial. O uso de aparelhos e sistemas de HVAC (Aquecimento, Ventilação e Ar-Condicionado) de alta eficiência também é essencial para reduzir o consumo de energia.

Energias renováveis: A integração de tecnologias de energia renovável deve ser considerada desde o início do projeto. Isso inclui não apenas painéis solares e turbinas eólicas, mas também sistemas de aquecimento solar de água e bombas de calor geotérmicas, que podem fornecer água quente e aquecimento/cooling de forma mais sustentável.

Gestão de resíduos: A sustentabilidade na construção também envolve a redução de resíduos durante o processo de construção. Isso pode ser alcançado através da logística reversa e reciclagem, ou pelo design modular e da construção off-site, que permitem uma montagem mais precisa e menos desperdício de material. A reutilização de materiais de demolição em novas construções também é uma prática valiosa.

Água e paisagismo: O manejo sustentável da água se estende ao tratamento e reutilização de águas pluviais e cinzentas para fins não potáveis, como irrigação e descarga de sanitários. O paisagismo sustentável, que utiliza plantas nativas e sistemas de irrigação eficientes, como a irrigação por gotejamento, contribui para a conservação da água.

Além desses aspectos, a construção sustentável também abrange:

Certificações ambientais: Obter certificações demonstra o compromisso com a sustentabilidade e pode incentivar práticas ambientais responsáveis em toda a indústria da construção.

Mobilidade e acessibilidade: Projetar edifícios com fácil acesso a transporte público, bicicletários e infraestrutura para veículos elétricos promove a mobilidade sustentável e reduz a dependência de veículos movidos a combustíveis fósseis.

Inovação tecnológica: A adoção de novas tecnologias, como o sistema construtivo Monopainel, impressão 3D de componentes de construção e o uso de drones para inspeção de obras, pode otimizar processos e reduzir emissões.

Educação e conscientização: Promover a educação ambiental entre os trabalhadores da construção e os futuros ocupantes dos edifícios é fundamental para garantir a manutenção e o uso adequado das instalações sustentáveis.

Avaliação do ciclo de vida: Realizar uma avaliação do ciclo de vida (ACV) dos materiais e processos de construção ajuda a entender o impacto ambiental total de um edifício, desde a extração de matérias-primas até o fim de sua vida útil.