Logotipo Engenharia Compartilhada
Home Notícias Como a presença de mais topógrafos pode impactar positivamente na segurança de grandes obras?
TECNOLOGIA

Como a presença de mais topógrafos pode impactar positivamente na segurança de grandes obras?

Assessoria de Imprensa - 03 de julho de 2024 55 Visualizações
Como a presença de mais topógrafos pode impactar positivamente na segurança de grandes obras?

[Imagem: Freepik]


O profissional do setor de topografia é muito importante para vários mercados, como mineração, indústria, construção civil e até para o agronegócio. É sua função analisar dados de campo, incluindo altitude, latitude e longitude, fazer o mapeamento de níveis, realizar medições, elaborar e atualizar mapas e plantas, sendo fundamental na concepção de projetos de engenharia, edificações, pavimentação de vias públicas, entre outros.

Para Weslei Lima, gestor do Mercado Topográfico, plataforma de divulgação de produtos e serviços do setor de geotecnologia, “nos grandes projetos de engenharia, é comum ver trabalhadores com equipamentos de medição, verificando os relevos do terreno e auxiliando na produção de mapas. Esse é o topógrafo. Trata-se de um profissional com forte atuação nos bastidores de grande parte das obras urbanas”.

Algumas das atividades mais relevantes do topógrafo em grandes construções são a análise de solo, identificando qualidades e defeitos no terreno onde está acontecendo a obra para escolher de forma mais assertiva e segura de onde construir e o monitoramento de estruturas, como barragens, prédios e rodovias. “Muitas vezes o rompimento de barragens, desabamentos e acidentes acontecem pela falta de monitorar o estado dessas construções. Por isso, é de extrema importância que os projetos idealizados pelas iniciativas públicas e privadas sejam planejados para contar com a presença desses profissionais no momento de construir e, posteriormente, realizar um acompanhamento mais próximo”, comenta Lima.

“Para garantir também a segurança desses trabalhadores, tecnologias como lasers scanner de longo alcance, drones, ecobatímetros e GNSS devem ser utilizados. Esses equipamentos podem ser controlados à distância e alcançam locais onde o ser humano poderia correr risco. Sem contar que essas ferramentas agilizam processos de análises e otimizam outras atividades”, finaliza.