Logotipo Engenharia Compartilhada
Home Notícias Objetos impressos em 3D com cerâmica e concreto mesclam arte com tecnologia
Arquitetura

Objetos impressos em 3D com cerâmica e concreto mesclam arte com tecnologia

Por Renato Cunha, Stylo Urbano - 01 de agosto de 2022 283 Visualizações
Objetos impressos em 3D com cerâmica e concreto mesclam arte com tecnologia

O designer americano Brian Peters combina técnicas artesanais com tecnologia moderna para criar cobogós impressos em 3D. Cada obra compreende uma série de cobogós escultóricos, que ele projeta, fabrica e monta. Segundo Brian “estou fazendo uma mistura de arte e tecnologia”.

Começando com modelos paramétricos digitais, o designer os transfere para impressoras cerâmicas 3D, máquinas que ele mesmo construiu, que gradualmente formam cada cobogó com camadas de argila finamente aplicadas.

Cada cobogó cerâmico é então acabado à mão e esmaltado antes de ser queimado em forno, depois montado com a ajuda de engenheiros e pedreiros. Os cobogós são elementos vazados que podem ser instalados em diferentes paredes interna ou externa. Com a função de deixar o design dos ambientes mais bonitos e manter toda a uma residência ou espaço comercial mais moderno e divertido.

Desde a década de 1980, a impressão 3D ofereceu novas formas de desenvolver arquitetura, engenharia e objetos de uso diário. Quando se trata de digitalizar processos analógicos, é vital que os usuários se familiarizem com as inovações tecnológicas atuais e seus benefícios.

O Projeto HIVE reformula a arte e o ofício de construir em argila, combinando cerâmica tradicional, geometria inteligente e precisão robótica para construir uma parede de alvenaria composta por 175 cobogós de argila impressos em 3D.

Durante 2021, uma equipe da Waterloo University em Toronto, Canadá, concluiu a construção de uma parede de privacidade para escritórios. Esta estrutura distinguiu-se não só pela sua estética, mas também pelo fato de ter sido erguida por uma avançada impressora 3D em que, “como um favo de mel, a agregação de unidades hexagonais produz uma estrutura forte materialmente eficiente”, segundo o equipe.

O desenho da parede brinca com variações na abertura e fechamento dos cobogós de argila que criam uma atmosfera distinta. O layout permite que a privacidade e a luz passem pela parede, provocando um cenário marcante que divide, mas também consegue manter o espaço como um todo.

Os alunos de mestrado da ETH Zurich produziram nove colunas de concreto usando um novo processo, desenvolvido na escola de tecnologia, que permite a rápida impressão 3D de estruturas de concreto completamente sem fôrmas ou qualquer outro tipo de molde.

Os pilares foram impressos em 3D usando uma nova técnica desenvolvida por estudantes da ETH Zurich

Intitulada Concrete Choreography, a série de estruturas levou menos de duas horas e meia para ser impressa no laboratório usando um braço robótico industrial que extrudia concreto em camadas precisas.

“Isso pode reduzir a pegada ecológica da construção de concreto, removendo completamente a cofragem e usando menos concreto”, disse a pesquisadora doutora Ana Anton, uma das equipes de ensino da unidade Digital Building Technologies da ETH Zurich. “Somos capazes de colocar estrategicamente o material apenas onde for necessário”, acrescentou.

Ele também permite projetos completamente personalizados, incorporando padrões complexos que só são alcançáveis ??por meio de impressão 3D de alta resolução, as camadas de concreto que o robô coloca têm apenas cinco milímetros de espessura.

Para a Coreografia Concreta, os alunos pretendiam criar formas fluidas que mostrassem as idiossincrasias do material e do processo. Seu trabalho se estendeu à estrutura interna das colunas, que tiveram que aumentar a resistência com o mínimo de material. A rapidez do processo é auxiliada por uma mistura especial de concreto de cura rápida, desenvolvida por outro grupo de pesquisa da ETH Zurich.